Procure aqui a sua receita

Pesquisar

Formulário de pesquisa

Partilhe a sua receita! Saiba como aqui

Receba a Newsletter!

Votação

Tem Bimby?

Top chefs

292 Pontos
227 Pontos
85 Pontos
53 Pontos

Pergunte aos Chefs!

Tem alguma dúvida e gostaria de saber a resposta de um Chef d’ “As minhas receitas”, deixe aqui a sua pergunta!

Está aqui

 

Como ensinar uma criança a cozinhar

Ensinar uma criança a cozinhar é uma tarefa de grande responsabilidade. Saiba quais os ensinamentos que devem ser transmitidos a uma criança no interior de uma cozinha para que ela seja o verdadeiro masterchef lá de casa!

É forçoso ter em atenção a idade da criança

Crianças menores necessitarão de um género diferente de ensinamentos na cozinha do que crianças com mais idade. Por exemplo, a uma criança de 7 anos não deve ser facilitado o acesso a fósforos, enquanto a uma criança de 10 anos isso já é possível.

A idade da criança e também a sua maturidade devem ser tidas em conta na altura de lhe permitir livre acesso à zona da cozinha e mesmo crianças mais velhas precisarão de acompanhamento e vigilância de um adulto, pelo menos nas primeiras vezes em que cozinharem.

De igual forma cozinhados mais elaborados, como receitas de assinatura, não devem ser ensinados a crianças muito novas pois exigem grande capacidade de concentração e apresentam níveis de dificuldade que poucas crianças entenderão.

Apresentar a criança ao manejo dos fósforos, bicos a gás e placas elétricas

Uma das primeiras coisas que se precisa de saber fazer numa cozinha é precisamente utilizar o fogão.

Quer se trate de um fogão a gás, quer se utilize fogão com placas elétricas a criança necessitará de ser instruída sobre a forma correta de manusear estes instrumentos vitais para a confeção dos cozinhados. Ensinar à criança a forma de ligar e desligar os botões do fogão e manejar o forno tem de passar por uma correta explicação sobre os perigos incluídos, e sobre os cuidados a ter nessas situações.

Os fósforos são utensílios que só devem ser confiados a crianças mais velhas pois representam um perigo real de queimaduras que poderão ser graves. Hoje em dia existe no mercado um grande número de acendedores automáticos para fogão que são excelentes para crianças, pois não envolvem o manuseio direto da chama e garantem maior segurança aos pequenos cozinheiros.

Começar pelos ensinamentos básicos

Antes de correr deve aprender-se a gatinhar, o que equivale a dizer que antes de ensinar a criança a cozinhar assados e guisados, convém que ela saiba como cozer ou estrelar um ovo.

Pretender que a criança seja capaz, logo nas primeiras vezes que pega nas panelas, de confecionar refeições complicadas é uma forma de a desmotivar de querer aprender mais.

Opte antes por ensinar primeiro as regras simples como tempos de cozedura, quantidades de água necessárias, ordem de inclusão dos alimentos na panela, as diferentes finalidades dos diferentes temperos, etc.

Não há pressa e é bem melhor que a criança interiorize primeiro o porquê de ter de fazer certas ações na cozinha. Só percebendo as bases da culinária se consegue fazer algo mais elaborado depois.

Evitar se possível o uso do forno

Nem todos os cozinhados necessitam do recurso ao forno e sempre que possível deve evitar-se que a criança utilize fornos ou outras fontes de intenso calor.

O forno exige uma perícia que a criança pode não ter ainda desenvolvido e é sempre melhor não arriscar. Bolos, pudins e biscoitos devem ser confecionados na companhia de um adulto que se encarregue de colocar os preparados a cozer no forno.

Claro que após alguma prática na cozinha é benéfico começar a liberar o forno para que a criança seja capaz de efetuar todos os passos envolvidos na confeção dos alimentos, mas nunca antes de ter absoluta confiança na sua desenvoltura.

Facultar à criança diversas receitas próprias para cozinheiros principiantes

A cozinha pode parecer assustadoramente complicada a uma criança e a arte de cozinhar pode assemelhar-se a um exercício complicadíssimo para quem nunca cozinhou antes.

É fundamental escolher receitas entre as mais simples e de fácil execução e apresentá-las à criança. Dessa forma a criança perceberá que cozinhar não é afinal algo tão complicado assim, e começará a organizar as suas ideias no sentido de seguir as indicações expressas na receita que escolher.

A forma como a receita está redigida é também muito importante. Textos longos e confusos não serão aliciantes para a criança, prefira livros de culinária com gravuras sugestivas e indicações dadas passo-a-passo.

Algumas crianças poderão sentir-se mais à vontade seguindo vídeos ilustrativos disponíveis em grande quantidade na Internet. Descubra o que a sua criança prefere e deixe que seja ela a decidir como mais lhe convém aprender.

Ensinar uma criança a cozinhar pode ser tarefa para dias, meses ou até anos, sendo que a arte da culinária nunca está toda aprendida. O importante é fomentar o gosto pela culinária e despertar a vontade dos mais pequenos se tornarem chefs de renome internacional. Acompanhamento em dose e quantidade necessários para cada criança em concreto, e liberdade para que decidam o que for de sua capacidade decidirem é o melhor estratagema a utilizar.

Classifique este artigo: